Quem foi Bento Ribeiro Dantas

    Foto: Izabel Ribeiro Dantas

    Filho de José Bento Ribeiro Dantas (1968), no qual cativou e ajudou a população nativa e leva, em sua homenagem, o nome da principal Avenida de Armação dos Búzios

    Búzios são todas as paisagens em um pequeno trecho de costa. As da península, cercadas por um mar que muda de cor e movimento todos os dias, numa alternância incansável, que vai do azul calmo e plácido, passando por múltiplos tons de verde, ao cinza ameaçador. As das praias, de todos os tamanhos, tipos e feitios. E, para até aonde a vista alcance, um fundo de montanhas e ilhas que compõem, como um cenário, um panorama único posto naquele lugar por um sábio com alma de poeta.

    Até os anos 50, Búzios era um lugar quase desconhecido e temos a impressão que a cidade surgiu do nada, como Macondo, por um passe de mágica. Esta seria uma realidade possível, pois Búzios é, antes de tudo, um lugar encantado.

    No entanto, o bicho homem, alegando alguma coisa que ele chama de progresso, ameaça toda esta rara beleza, seja por ignorância, seja por cupidez. Os desmatamentos irresponsáveis agridem o frágil ecossistema da região que foi formado ao longo dos séculos. A riqueza da paisagem atual, apesar da escassez das chuvas, só foi possível graças a solidariedade, uma sociedade mesmo, entre as plantas, e entre estas e o solo. Umas protegem as outras, e a destruição de poucas acarreta a destruição de muitas.

    A pesca predatória reduziu a quantidade de peixes e vida marinha da região. Armação dos Búzios tem apenas um plano “A”, a preservação intransigente da sua natureza. Não há plano “B”

    Mas por que Armação dos Búzios? Afinal, uma denominação incomum para uma cidade. Apesar de conter uma significação, ela não está clara, como por exemplo, um nome de santo São Paulo, de um lugar Rio de Janeiro, ou em honra de uma pessoa Petrópolis. A palavra armação, hoje, em seu uso diário, nomeia coisas diferentes do que o mesmo termo definia no passado. Mesmo entre os habitantes do lugar, criou-se uma certa confusão sobre o seu real significado. Os modernos minidicionários têm como finalidade as consultas rápidas, normalmente só indicam as definições de uso corrente. Assim, temos para a palavra armação, no mini Houaiss, definida como “estrutura de sustentação, situação montada, golpe.” No mini Aurélio siginifica “ato ou efeito de armar, peça ou conjunto de peças que servem para sustentar, revestir, fixar, reforçar, unir, as varias partes de um todo. Conjunto de armários, balcões duma loja”. No vocabulário do futebol também usamos como armação o meia armador, aquele que faz a armação das jogadas. Como vemos, o uso atual e corriqueiro da palavra armação nada tem a ver com o nome da nossa cidade. No entanto, devemos nos lembrar que o nome do lugar onde está situado o nosso município foi atribuído, em 1750, quando da fundação da pequena, “Armação das Baleias de Búzios”.

    Devemos, portanto, procurar nos dicionários mais antigos, como o excelente dicionário Morais, de 1815, o significado do vocábulo armação. Neste quer dizer “a ação e o trabalho de armar navios para navegação mercantil ou de guerra. Pescaria, as redes, caniçadas e o mais que se arma para pescar”. Acresce ainda que devemos nos lembrar que, no passado, as baleias eram classificadas como peixes. Só no grande e moderno Aurélio, de 2004, vamos encontrar, entre os muitos significados da palavra, “local onde se aparelhavam ou aprestavam navios para a pesca da baleia. As armações foram comuns nos litorais baianos, fluminense e catarinense”.

    A outra parte do nome de nossa cidade também é alvo de confusão e desconhecimento. O búzios é a concha de um molusco gastrópode encontrado em toda nossa costa, do Nordeste a São Paulo, bastante grande, de 35 a 40 centímetros. No passado, usado pelos pescadores como megafone para ampliar a voz, a confusão se dá com o búzio, também uma concha de molusco, mas muito menor. Os búzios são muito mais conhecidos e comumente utilizados em jogos populares e, na macumba, em jogos de adivinhação.

    No livro da historiadora Myrian Ellis, “As Feitorias Baleeiras do Brasil Meridional”, encontramos vários sítios da costa brasileira, que no século XVIII usavam a designação de Armação, tinham a mesma finalidade e o mesmo uso. Por exemplo: a Armação de S. Domingos, em Niteroy, a Armação da ilha da Gipoia, na baia de Angra dos Reis. No litoral de Sta. Catarina, elas foram mais numerosas, ainda encontramos locais denominados Praia da Armação e ponta da Armação. Portanto, a nossa “Armação” de origem, era um local onde se preparavam e equipavam os barcos para caçar baleias. O acréscimo “dos Búzios”, certamente por serem os mesmos facilmente encontrados no local, identificava sua localização geográfica.

    1 comment

      Deixe um comentário